Capitão América: O Primeiro Vingador

Título Original: Captain America: The First Avenger
Diretor: Joe Johnston
Elenco: Chris Evans, Tommy Lee Jones, Stanley Tucci, Hugo Weaving, Neal McDonough, Sebastian Stan, Dominic Cooper, Hayley Atwell, Toby Jones
Ano: 2011

Quem, assim como eu, não é fã de gibi, talvez encare o lançamento do filme “Capitão América – O Primeiro Vingador” como “mais um filme” de super-herói. Ledo engano que, sendo corrigido, trará uma grata surpresa.

O filme começa no Ártico, focando em um objeto que já leva os fãs (dos quadrinhos) ao delírio. Desse ponto, aparentemente sem conexão, há uma volta ao passado, mais precisamente na Noruega de 1942 onde, em plena Guerra Mundial, um general de Hitler invade um mosteiro e rouba algo que teria pertencido ao deus nórdico Odin. Um novo corte na história e conhecemos o recruta Steve Rogers (Chris Evans), sujeito magrelo (fruto da computação gráfica, claro) que sonha em defender os Estados Unidos no campo de batalha. Tendo como objetivo agradar aos fãs “xiitas”, o diretor Joe Johnston (“Jurassic Park III”, “O Lobisomem”) mostrou preocupação com os detalhes, principalmente ao mostrar que, mesmo antes de ser herói, Rogers utiliza algum instrumento para se defender, gerando aquilo que no futuro comporá o uniforme do seu alter-ego: um escudo.

Após ser rejeitado mais uma vez pelo Exército, Rogers é abordado pelo cientista alemão Dr. Abraham Erskine (Stanley Tucci como sempre, fantástico) e se torna cobaia em um projeto ambicioso: desenvolver um super soldado. A cena do experimento científico lembra muito o ocorrido a outro herói Marvel – Wolverine e seu esqueleto de adamantium – contando com a presença de representantes do Exército além de Howard Stark, empresário/inventor responsável por fornecer armas ao Exército e pai do Homem de Ferro – talvez o porquê da caracterização do ator Dominic Cooper muito parecida a do Tony Stark de Robert Downey Jr nos filmes do herói de ferro. Nasce então o Capitão América (Evans já bombado e sem CGI), que terá como antagonista o vilão Caveira Vermelha (vivido por Hugo Weaving, o Agente Smith da Trilogia Matrix) e sua super arma.

De início, o herói criado em meio a 2ª Guerra Mundial para dar moral ao povo americano, bem como engrossar o número de alistamentos, é ridicularizado pelos demais companheiros, tornando-se apenas um fantoche que “bate em Hitler umas 200 vezes”. Nessa parte do filme têm-se talvez as melhores cenas cômicas do herói. Porém, quando elas acabam, o filme se torna convencional, ou seja, um filme de herói: perseguição ao bandido, drama pessoal ataca o mocinho, o envolvimento com a mocinha, (mais) tiradas cômicas, explosões e (mais) perseguições e outras cenas inversossímeis – o básico de um filme de ação de um super herói, com evidentes falhas nos efeitos especiais, pelo menos na versão 2D (a cena do vilão revelando “todo o plano” é caricata e sem graça).

Ao final, o filme retoma a qualidade, explicando como um herói criado há 70 anos pode lutar junto com o Homem de Ferro e os demais heróis do Universo Marvel, preparando aquele que promete ser o grande lançamento dos cinemas e a concretização do plano da editora/estúdio de cinema: o lançamento do filme “Os Vingadores”.

No geral, um bom filme de aventura que, se não conseguir angariar mais fãs para o herói nos gibis, em nada compromete sua trajetória na telona, seja em carreira solo ou não.

Em tempo:

1) Chris Evans é o “rosto” de dois heróis da Marvel no cinema: além de Capitão América, ele também foi o Homem Tocha nos dois filmes do “Quarteto Fantástico”;
2) Essa é pra quem é curioso: no filme do “Homem de Ferro” disponibilizado em DVD é possível ver, rapidamente, o escudo do Capitão América em fase de construção (1h 25m 16s).

Spooilers:

* Leia por sua conta e risco!

Quem ficar até o final dos créditos terá duas surpresas. Quem não ficou e quiser saber quais são, leia o texto abaixo:

O filme termina com Evans aturdido, correndo em plena Times Square e dando de cara com o Diretor da Shield, Nick Fury (Samuel L. Jackson). Após os créditos, é exibida uma cena onde Rogers, ainda tentando entender o que lhe aconteceu, está batendo em um saco de boxe. O Diretor aparece; Rogers o questiona e ele responde dizendo que não está ali para salvá-lo e sim, para salvar o mundo! Corta para o trailer do filme “Os Vingadores”, com direito ao Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) e seu típico bom humor pra cima do herói Thor (Chris Hemsworth) e seu machado.

Patrícia Quintas
07/09/2011

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s