A vida de Hitchcock

Dois filmes lançados em 2012 permitiram que o público fosse capaz de conhecer um pouco sobre a vida e o processo de criação do “Mestre do Suspense”, Alfred Hitchcock.

HitchcockEm “Hitchcock“, acompanhamos as filmagens daquele que viria a ser o maior sucesso de bilheteria e crítica da carreira do diretor: “Psicose” (Psycho, 1960).

Após ler o livro homônimo, baseado em fatos reais, Hitch (interpretado por Anthony Hopkins) fica fascinado com a história, chegando até mesmo a ouvir “conselhos” do assassino. Enquanto filma a história com baixo orçamento e sem o apoio de um grande estúdio (Hitch hipotecou a própria casa para bancar as filmagens), o diretor tem que lidar com a censura americana (devido às cenas de violência e nudez), com a saúde debilitada, com sua mulher, Alma, e com a atração pela “loira da vez”, Janet Leigh (interpretada por Scarlett Johansson).

Neste filme, o grande destaque fica por conta da relação entre Hitch e Alma, como um completava o outro, principalmente na força e decisão de Alma, que era a única a compreender, entender e suportar Hitch em todas as suas decisões.

O destaque negativo fica por conta de Hopkins. Usando uma maquiagem pesada e abusando do “beicinho” para imitar o grande diretor, ele conseguiu ficar caricato demais, passando uma ideia de estar ali apenas pra filmar e pagar o aluguel do mês.

Contudo, o filme é um ótimo modo para entender um pouco sobre a vida daquele que tanto contribuiu para o cinema e influencia até hoje cineastas, jovens ou não. Um destaque vai para a cena da estreia de Psicose no cinema, onde Hitch, do lado de fora, observa a plateia por uma fresta da porta e, sabendo quais cenas o público estava assistindo de acordo com o som da sua reação, imita a regência de uma orquestra. Como escreveu o crítico Inácio Araújo na revista Bravo deste mês, “Hithcock conseguiu dirigir as emoções dos espectadores como se rege uma orquestra. O público ficou subjugado”.

Curiosidades:
– este filme foi baseado no livro “Alfred Hitchcock And The Making Of Psycho”;
– é o primeiro filme de terror de Hitchcock, o qual faria apenas mais um do mesmo gênero, seu filme seguinte, “Os Pássaros”;
– o roteirista contratado por Hitchcock no filme é interpretado pelo ator Ralph Macchio, o eterno Daniel Sam dos filmes Karatê Kid.

the-girlO segundo filme sobre o grande diretor inglês é “The Girl“, uma produção da HBO e da BBC inglesa. Neste filme, o tom é bem mais dramático, apesar de manter algumas semelhanças com o anterior, como a compulsão alimentar de Hitch, a presença constante no set de filmagens de Alma e a citação à uma das grandes estrelas do diretor que virou princesa, Grace Kelly.

Agora, acompanhamos o diretor e sua aproximação a uma jovem atriz/modelo, Tippi Heddren (Sienna Miller). Após lançar seu maior sucesso, “Psicose”, Hitchcock (interpretado por Toby Jones magnificamente) ficou fascinado na história dos pássaros que se voltam contra uma cidade inteira (ou seria contra a intrusa?). Para contar a história, ele contrata Hedren que, totalmente sem experiência, era passível de ser moldada, assim como ele manteria suas decisões sobre o que a atriz deveria vestir ou como se maquiar (o que adorava fazer com todas as atrizes que dirigia, fato já discutido entre duas personagens/atrizes no filme “Hitchcock”).

No começo, Hedren fica fascinada com o diretor, mas a relação deles evolui para um caminho de terror psicológico (e porque não dizer, físico também) assim como vão evoluindo as filmagens de “Os Pássaros” (The Birds, 1963) e do filme seguinte, “Marnie – Confissões de uma Ladra” (Marnie, 1964).

No filme, acompanhamos os três anos de relacionamento entre Tippi e Hitch. Para ela, um relacionamento profissional que a desgastava, de um homem que abusava de sua posição e que a desafiava a provar ser uma atriz com talento; para ele, um relacionamento que deveria ter evoluído para o pessoal, embora não pudesse se imaginar sem o apoio e amparo (emocional e profissional) de Alma.

Em “The Girl” pode-se acompanhar a mente perturbada de Hitchcock, devido ao fascínio que Hedren exerceu sobre ele o qual nem Alma (Imelda Staunton) conseguiu entender porque esta loira era diferente das outras (uma clara alusão à predileção do diretor). A obsessão dele em exercer poder sobre ela chega ao limite do sadismo quando Hitch decide filmar uma cena sem propósito, utilizando aves reais durante diversos takes, os quais feriram Hedren no rosto, braços e nos olhos. Porém, as marcas que ficaram nela não foram as das aves e sim as dele, quando ela diz que ele transformou uma garota feliz em um pedaço de mármore frio.

Outro filme bem feito, com boas interpretações, que permite aos amantes do cinema, ou apenas aos curiosos de plantão, desvendar um pouco mais da mente brilhante do mestre do suspense e sua obsessão pelas loiras. E nas palavras do próprio mestre, que abrem este filme, “As loiras são as melhores vítimas. São como a neve virginal que nos deixa ver as pegadas de sangue”.

Curiosidades:
– baseado no livro “Fascinado pela Beleza”, de Donald Spoto;
– Tippi Hedren é mãe da também atriz, Melanie Griffith, aka Sra. Antonio Banderas;

Patrícia Quintas
15/03/2013

Título Original: Hitchcock
Direção: Sacha Gervasi
Elenco: Anthony Hopkins, Helen Mirren, Scarlett Johansson, Toni Collette, Jessica Biel
Ano: 2012

Título Original: The Girl
Direção: Julian Jarrold
Elenco: Toby Jones, Sienna Miller, Imelda Staunton
Ano: 2012

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s