A Caça

acacaTítulo Original: Jagten
Direção: Thomas Vinterberg
Elenco: Mads Mikkelsen, Thomas Bo Larsen, Annika Wedderkopp
Ano: 2012
País: Dinamarca

[Contém SPOILERS]

Tenso. Nervoso. Angustiante. Estes são apenas alguns dos adjetivos que se pode utilizar ao comentar sobre o filme dinamarquês “A Caça”.

A filme começa mostrando Lucas se jogando em um lago gelado pra salvar um amigo com cãibras. Logo depois, vemos o protagonista brincando com as crianças na escolinha onde dá aulas. A partir daí, é impossível não simpatizar com o homem, que vive o tormento do fim do casamento e da separação do filho imposta pela ex.

Eis que surge Klara, uma menininha linda, negligenciada pelos pais que não percebem que ela sumiu ou que brigam pra decidir quem irá levá-la para a escola. Ao receber o carinho de Lucas, Klara confunde o sentimento – aliado a uma imagem mostrada pelo irmão e seus amigos – e acusa o professor de ter mostrado suas partes íntimas para ela. Sem poder se defender, o mundo de Lucas desaba e ele se vê sozinho, indefeso, perplexo, até um pouco inerte perante aos acontecimentos. Mas, como julgá-lo? O que fazer nessa situação? Gritar, bater, chorar, implorar? Não há uma resposta certa.

O diretor Vinterberg aborda com clareza de detalhes o tema pedofilia, trazendo os pontos de vista de todos os lados envolvidos: Lucas, incrédulo com a situação, Klara, que chega a confessar para a mãe que “falou bobagens” mas a mãe não acredita, o pai da garota, melhor amigo do acusado, a diretora fiel ao princípio da inocência das crianças, o assistente social, que pressiona Klara para contar a “verdade” do que aconteceu, além dos adolescentes, da namorada, dos moradores da pequena e pacata cidade, praticante de caça aos veados.

De forma direta, o diretor nos faz questionar até que ponto devemos acreditar na “inocência” imaculada de uma criança. Klara agiu com maldade, como vingança, ou foi apenas uma confusão na sua cabeça? Quando todas as crianças admitem o abuso narrando fatos que simplesmente não existem, isso não deveria bastar para provar o poder de imaginação das crianças e a inocência de Lucas?

Ao final da projeção, com o choque da última cena, a sensação que fica é que, pra sociedade, as crianças SEMPRE dizem a verdade. Será mesmo que devemos agir assim? Particularmente, acho que não. Um excelente filme pra assistir e refletir.

Patrícia Quintas
16/06/2013

PS: O ator Mads Mikkelsen (Lucas) ganhou o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cannes 2012 por este filme.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s